quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Rampa de acessibilidade

Você sabe qual a largura mínima para uma rampa de acessibilidade?
Você sabe qual a declividade máxima permitida por lei para uma rampa de acessibilidade?
Pois é, muitas pessoas estão contratando pedreiros para fazer rampas e não estão se preocupando com o que a lei determina. Já vi "rampa" tão estreita que não cabe uma cadeira de rodas. Outras são tão íngremes que fica difícil até para uma pessoa sem dificuldade de locomoção ter acesso.
Assim, fui pesquisar e descobri que a declividade máxima permitida é de 8%, ou seja, a cada metro de extensão apenas 8cm de altura. Assim, se a altura for de 80cm a rampa deve ter 10m de comprimento. Quanto à largura a lei determina pelo menos 1m20cm.
As mudanças arquitetônicas são apenas um detalhe na acessibilidade, porém sem elas tudo fica mais complicado. As pessoas com deficiência precisam de autonomia, por isso as rampas precisam ser adequadas. Não aceitem qualquer coisa como rampa, vamos à luta e exigir adequação das rampas as normas oficiais.
No Youtube você encontra vídeos explicando todos estes detalhes.   

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Novidades

Caros leitores,
Eu estive afastado, mas em breve farei novas postagens.
Aguardem as novidades.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Caros leitores e leitoras, em breve teremos novidades em nosso blog. Aguardem novas postagens.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Somos todos especiais

"Somos todos especiais aos olhos do Senhor".
Que em 2015 todas as escolas sejam verdadeiramente inclusivas, pois a inclusão escolar é um passo importante para a inclusão social.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Educação Inclusiva X Professor de Apoio e Salas de AEE

Os Pesquisadores Saul Neves de Jesus; Maria Helena Martins; Ana Susana Almeida; em um artigo intitulado "Da educação especial à escola inclusiva," dentre outras coisas, falam das práticas pedagógicas numa escola inclusiva. Dentre as práticas pedagógicas eles destacam a figura do professor de apoios educativos, inclusive indicando o seu papel.
A Pesquisadora Maria Teresa Eglér Montoan, em um artigo intitulado "Uma escola de todos, para todos e com todos: o mote da inclusão," defende a inclusão eescolar e, dentre outras coisas, critica a presença do professor de apoio. Segundo ela "... essa alternativa constitui mais uma barreira à inclusão, pois é uma solução que exclui, que segrega e desqualifica o professor responsável pela turma e que o acomoda, não provocando mudanças na sua maneira de atuar, uma vez que as necessidades educativas do aluno com deficiência estão sendo supridas pelo educador especializado."
Leia esses dois artigos, na íntegra, consultando a seguinte referência:
STOBÄUS, Claus Dieter; MOSQUERA, Juan José Mouriño (orgs.). Educação especial: em direção à educação inclusiva. 3. ed. Porto Alegre: EDPUCRS, 2006.

De acordo com a sua experiência e fundamentado(a) na leitura dos dois artigos citados anteriormente fale, brevemente, sobre a necessidade (ou não) das salas de Atendimento Educacional Especial (AEE) e do Professor de Apoio (AP) nas escolas de educação básica.
Se você não conseguir enviar sua resposta identificando-se, identifique-se no texto e envie sua resposta como anônimo.
Muito Obrigado pela sua colaboração na nossa investigação.
Eu defendo que o diferente precisa ser tratado como diferente para que possa ter seus direitos de igualdade garantidos.

domingo, 27 de novembro de 2011

Aulas de reforço

Caro(a) visitante, estamos desenvolvendo uma pesquisa sobre "Reforço Escolar" e temos algumas perguntas sem resposta, como por exemplo:
1. O que leva um pai ou mãe a colocar o filho em uma escola de reforço quando o filho estuda em uma escola tida como uma das melhores escolas (escola particular de renome)?
 2. Para você, qual a importância da escolinha de reforço?
Por favor, contribua conosco respondendo esses questionamentos.
Paz e bem!
Professor Soares

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Educação especial X Neoliberalismo X Inclusão

As escolas especiais têm o importante papel de incluir socialmente as pessoas com deficiência ou com Necessidades Educativas Especiais - NEE, mas a Educação Especial  precisa de recursos (humano e material) de alto nível. As vezes é necessário um professor por aluno, além de uma equipe multidisciplinar na escola. O Neoliberalismo defende o Estado mínimo, ou seja, quanto menos responsabilidade para o Estado melhor. A campanha pela inclusão escolar de pessoas com deficiência a cada dia fica mais forte. Parece que não temos outra saída a não ser defender a inclusão escolar de pessoas com deficiência.
Será que a inclusão escolar de pessoas com NEE significa o fim das escolas especiais?
A quem interessa o fim das escolas especiais?